segunda-feira, 2 de julho de 2018

Caves COCKBURN'S - (03)


Com esta 3ª edição terminamos esta reportagem sobre a visita que efectuamos às caves Cockburn's

A título de informação convém também referir que Cockburn's são as maiores caves que se encontram na zona histórica de Gaia e que aí se encontram armazenadas nada mais nada menos que 6.000 pipas de Vinho do Porto e o equivalente a mais de 10.000 pipas em Balseiros.

No chamado Santuário as garrafas são incontáveis e as mais antigas remontam ao séc XVIII

Resta-nos referir que as instalações se encontram abertas a visitas do público na zona histórica de Vila Nova de Gaia, rua Serpa Pinto nº 346.

Seguem as imagens finais:
(para abrir as fotos basta clicar em cima das mesmas)




O Bar


A Sala de provas

Perspectiva da loja de venda ao público

Posso garantir que não bebi nem comprei

A rua Serpa Pinto 

Detalhes da rua Serpa Pinto

O alpendre exterior onde também se efectuam provas

Perspectiva de uma das entradas, pela rua Dona Leonor de Freitas, vendo-se ao longe o casario da cidade do Porto.

Assim nos despedimos esperando que tenham gostado de mais esta nossa modesta reportagem fotográfica. Como sempre prometemos voltar. Até breve. Fiquem bem.



domingo, 1 de julho de 2018

Caves COCKBURN'S - (02)


Iniciamos hoje esta 2ª edição dando-vos conta de que, para além de muitos outros documentos, o museu integra uma magnífica colecção de aguarelas da autoria do Barão de Forrester bem como vários registos de outra figura lendária do Vinho do Porto, o inglês Jonh Henry Smithes que foi um dos pioneiros nas pesquisas das castas autoctones da região do Douro.

Seguem as imagens que reservamos para esta edição:








Na entrada da Tanoaria encontramos uma Caldeira a vapor ROBEY, fabricada na cidade inglesa de Lincoln em 1921. Esta Caldeira que tinha como função aquecer a madeira para esta ser trabalhada foi utilizada até ao ano de 1926.

A Caldeira


Materiais para a construção dos cascos

A Tanoaria

Outra perspectiva da Tanoaria

Detalhe de materiais para confecção dos cascos.

Por aqui ficamos hoje. Terminaremos amanhã esta pequena reportagem com a 3ª edição. Esperando que estejam a gostar esperamos pela vossa visita. Fiquem bem.


sábado, 30 de junho de 2018

Caves COCKBURN'S - (01)


Na programação que fizemos para os dias da OPEN HOUSE ficou definitivamente marcada uma visita às Caves de Vinho do Porto ( e actualmente também vinhos de mesa ) Cockburn's.

O motivo desta escolha tem a ver com os detalhes curiosos da sua fundação e também o facto se ser a única empresa que, ainda hoje, produz em Tanoaria própria os cascos onde armazenam os seus vinhos.
Por outro lado, muito embora as caves se encontrem na sua totalidade em Vila Nova de Gaia a cidade do Porto está intrinsecamente ligada a este produto pelo que decidimos colocar esta pequena reportagem no nosso Blogue dedicado à cidade.

Um pouco da história:

Fundada em 1815 por um soldado escocês que, após a guerra peninsular decidiu radicar-se em Portugal, a Cockburn's atravessa ao longo dos anos algumas vicissitudes até que em 2006 é adquirida pela família Symington, fortemente enraízada no Douro, trazendo  novo folgo à Cockburn's.

Preparada então para uma reabertura ao público, o que aconteceu em 2017 a empresa conduzida pela família Symington mantém as Caves no estilo tradicional. O Vinho repousa em em longos e quase intermináveis corredores sob extensas coberturas de madeira e telha.

A Cockburn's é hoje considerada a maior Cave de Vinho do Porto, proprietária da maior colecção de Barris de Carvalho e distingue-se pela tanoaria artesanal onde diáriamente se reparam os Barris, Pipas e Balseiros da Symington.

Como sempre captamos as nossas imagens que agora aqui colocamos à vossa análise:

Zona exterior da recepção



Detalhes do Museu

Detalhes do Museu

Detalhes do Museu

Os Balseiros

Os Barris

Um Balseiro


Terminamos aqui por hoje. Regressaremos amanhã com a 2ª edição desta visita.
Até lá. Fiquem bem.

segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

O " ARMAZÉM " - (04)


Pois bem... chegamos ao fim da visita ao Armazém de Miragaia visita essa que nos deu imenso prazer. A visita foi longa, a noite vai caindo e são horas de partir.
  Seguramente iremos voltar mais vezes.

Foi como que um périplo através de várias facetas e épocas da história, as quais fomos vendo reflectidas nos objectos que se nos deparavam, num universo imenso de peças que ali esperam ser apreciadas.

Vamos passar de imediato às imagens chamando-vos a atenção para a última na qual está representado o cartão de visita que contém todos os elementos que ao armazém dizem respeito, para uma eventual consulta e contacto.













Não vamos fechar esta edição sem referir que nada nos liga ao "ARMAZÉM " 
Decidimos projectar aqui este tema sómente porque gostamos do Conceito, de Antiguidades, achamos o espaço lindo, único e porque o Porto merece o Armazém e o Armazém merece o Porto.

Fiquem bem e aguardem por novos temas.








domingo, 10 de dezembro de 2017

O " ARMAZÈM " - (03)


Vamos entrar na 3ª e penúltima edição dedicada ao ARMAZÉM.

Pouco mais há a descrever. Num tema como este são verdadeiramente as imagens que se destacam e revelam o que se impõe revelar, mostrando aos olhos de quem nos segue todo aquele manancial de objectos que se distribuem à vista por todo aquele imenso espaço.

Vamos pois às imagens:













Despedir-nos-emos do Armazém, na próxima edição, que pretendemos publicar amanhã.
Esperamos que as imagens de hoje tenham voltado a surpreender-vos. Fiquem bem e atentos à última edição.